Villa Itália, uma penthouse cénica e uma fuga urbanamente atlântica

A meia hora de Lisboa havia uma morada que não sendo novidade chamava por mim há muito tempo.  A penthouse 511, com o nome de Maria Regina Pia do Grande Real Villa Itália Hotel & Spa, está apenas a trinta quilómetros do meu escritório, e foi a fuga mais perfeita para quem não se podia ausentar por muitos dias.

A minha entrada na Magestic Suite, pela qual também é conhecida transportou-me por breves segundos para um cenário de Wong Kar Way. Qualquer coisa de ‘disponível para amar’, uma das obras primas deste realizador que tanto admiro. O encarnado das cortinas é transposto pelo branco que consegue esvoaçar na imaginação da minha memória. E o quarto mesmo não sendo o 2046 transporta-nos para qualquer coisa de asiático, na patine do verde anos cinquenta e no encarnado lacre, nos moveis de linhas direitas e pormenores espalhados pela penthouse.

Quem me tem acompanhado sabe que por estar a acompanhar uma pessoa que me é muito querida, a nível de saúde aumentei o vício de ir para paraísos bem perto da cidade, porque são estas moradas que me vão salvando em momentos em que o corpo e a alma se entregam ao desgaste do cansaço físico e emocional, onde o coração perde a superfície e o eixo do  abraço, que nunca deixou de estar aberto e que entra agora em disrupção. Assim chego disponível para descansar.

As cigarras compõem uma orquestra lá fora e a lua alta e inteira acolhe-me numa sexta-feira de um fim-de-semana que não promete grande sol. Melhor assim, pois não terei remorsos de sair desta penthouse linda de cair para a banda e com uma vista o Atlântico, que se mostra tímido na presença das gaivotas e que me recebe com um arranjo de fruta reminiscente a uma natureza de Josefa D’Obidos.

Do restaurante-Bar La Terrazza, e do bar da piscina de abençoada água salgada chegam-me pequenas maravilhas do mundo, para me acompanhar a mim e à torre de amigos silenciosos que me vão ajudar a recuperar energias depois de tantos meses de entrega. Liderada há anos pelo chefe Paulo Pinto, há jantares típicos refrescantes, há cocktails sem álcool que preenchem as almas mais estéticas e há colaboradores atentos a tudo e a todos e que fazem desta experiência uma recompensa elevada.

Mas a antiga morada do Rei Humberto II de Itália, guarda-me ainda o seu Spa, uma morada onde recebi à alguns anos a melhor massagem que alguma vez tive na área da grande Lisboa. A piscina de circuito Thalasso, com banhos termais eram um dos pontos altos desta visita. A água salgada tem este poder, sobre a renovação do corpo e a alma e que contaram com duas massagens de relaxamento nas suas salas douradas, de paredes forradas a ramos de árvores e pássaros silenciosos.

E assim com as ondas do Atlântico sempre por perto e o mistério do recorte das colinas de Sintra ao longe e com Lisboa a alguns minutos, confirma-se aqui numa morada de rainha, a ordem é para renovar.

Grande Real Villa Itália
Rua Frei Nicolau de Oliveira, 100 Cascais
Tel. 210 966 000
www.granderealvillaitalia.realhotelsgroup.com
facebook aqui