Para o pai que sabe sempre o que quer

Em homenagem ao mais enaltecedor dos substantivos masculinos, seja ele aquele que exerce as funções paternas, ou criou um ou mais filhos, seja ele autor, criador, fundador ou protector, esta semana descobertas masculinas de inquestionável design. Para o Pai que sabe sempre o que quer e numa cidade que sempre se insinuou feminina, uma homenagem determinada ao dia do Pai, surgido há mais de 4 mil anos na antiga Babilónia, quando um jovem chamado Elmesu Moldou esculpiu em argila o primeiro cartão que desejava saúde, sorte e longa vida ao seu progenitor.

crónica publicada a 14 de Março de 2008 no jornal Meia Hora