O chá tem a virtude de mitigar a sede. Mesmo na força do calor, a chávena de chá, saboreada a goles, dá pleno consolo. Excita ligeiramente o organismo, combate o cansaço, predispõe bem-estar, infiltra no cérebro uma embriaguez lúcida que nos torna mais afectivos e mais aptos às elaborações do pensamento. Com estas palavras de Wenceslau de Moraes um convite ao sereno Inverno da cidade. Nas mais apetecíveis casas de chá do momento ou no famoso programa da lareira, acompanhado de uma boa conversa, ou por esses amigos sempre tão disponíveis que são os livros, o reencontro com uma bebida que nos purifica e que nos alcança sempre mais do que aquilo que imaginamos.

crónica publicada a 18 de Janeiro de 2008 no jornal Meia Hora