José Avillez abre os panos do Mini-Bar

01 Mini Bar 1 © Paulo Barata

Quando eu acho que o chef José Avillez  já nada tem para me surpreender, arrebata-me os sentidos com mais um dos seus novos projectos, e este tem mesmo muito a ver comigo. Não estou em Chicago nem nos anos trinta, e se por momentos me perco numa subtil memória do Galeto da minha infância, encontro-me dentro do Teatro São Luiz, num desconcertado século XXI. E é neste preciso momento que aplaudo a nova morada do Príncipe do Chiado. Nunca as viagens ao passado fizeram tanto sentido, e se nas formas e tons alcanço os valores perdidos, na gastronomia do Mini-Bar o futuro rasga-se muito certo.

02 Mini Bar 2 © Paulo Barata

O Mini Bar Teatro, é um bar sim, mas é também um restaurante. José Avillez chama-lhe Bar Gastronómico e depois de ter vivido a experiência alcancei ainda mais o novo conceito. Lisboa nunca esteve tão bem servido de restaurantes, mas assim acolhedores, com luzes ténues não há muitos. Por isso mal entrei rasguei um enorme sorriso.

A proposta do Chef propõe uma carta de bar com cocktails especiais, vinhos, cervejas artesanais e variadas e fulgurantes experiências gastronómicas, não apenas no sabor mas nos restantes sentidos. Imaginem uma Margaritas de maçã verde e Caipirinhas que não são para beber, mas para comer. Ou um Ferrero Rocher de foie gras. Mas há mais: Gambas do Algarve em ceviche servidas sobre uma rodela de lima com esfera de beterraba e topping de milho frito, um inimaginável  frango assado numa pequena base crocante, cheia de sabor, com creme de requeijão fumado, umas Batatas que são Parvas, ou o  JAburger, um delicioso hambúrguer servido num brioche ultra-leve, que se desfaz na boca. Eu recomendo vivamente os Nuggets de bacalhau com  emulsão Bulhão Pato e as Vieiras salteadas com sabores Thai e o Atum braseado com cebolinho e molho de miso. Nas sobremesas por exemplo um Iogurte de framboesas, mascarpone e suspiros servido em copo de iogurte selado. Isto só para vos por a babar ou a reservar mesa como se não houvesse amanhã.

A carta chega-nos dividida em actos e achei genial o pormenor da mesa ter de comer a mesma ‘peça de teatro’, ou seja, faz sentido a mesa (sejamos nós 2 ou 10 pessoas) escolher tudo igual, afinal estamos a assistir ao mesmo espectáculo. E que grande espectáculo. Podemos escolher a vulso ou em versão menú de degustação, Épico (€48,50) ou Em Cartaz (€35). Os dois Menus apresentam de forma completa o entretenimento proposto pelo Chef José Avillez mas no caso do Épico temos de confiar no Chef sem saber ao que vamos. Eu confiei, claro.

Também está disponível uma carta dividida em diferentes ‘Actos’: Snacks e Entradas criativas para comer à mão, em duas dentadas, Peixes e Carnes para picar, um Bife e um Hambúrguer para os mais tradicionais e irresistíveis sobremesas. Eu provei o Cone de chocolate em 3 texturas com flor de sal e pimenta rosa e Globo lima-limão, uma esfera de sorvete recheada com frescas memórias de infância. Ambas lindas e avassaladoras e para saborear na memoria por muitos dias.

Outra peça fundamental na abertura dos panos é o papel da música, não estivéssemos nós numa morada que elogia um dos melhores movimentos nocturnos. As playlists do Mini Bar têm a assinatura de Vítor Silveira (aka Ramboiage), DJ residente do Lux Frágil e seleccionará também DJs que vão pôr música no Mini Bar todas as Quintas, Sextas e Sábados, a partir das 23h.

Por este andar terei de alterar o nome com que gosto de chamar o nosso querido Chef José Avillez. E passará de Príncipe a Rei ou mesmo Imperador do Chiado. Ninguém duvida que este homem português se entrega inteiro ao melhor da nossa marca enquanto cidade, enquanto país. Mas para mim, o Zé é um dos testemunhos vivos mais inspiradores do potencial de Lisboa e que me fizeram regressar a Portugal há quase oito anos, sem querer ter razões para voltar a partir. Porquê? Porque o Zé respira ambição saudável e vontade de fazer cada vez mais e melhor, e sempre com um dicionário não alcançável a todos. O dicionário do mais sublime sentido de excelência de quem se entrega inteiro na mínima coisa que faz.

03 Mini Bar 3 © Paulo Barata04 Mini Bar 4 © Paulo Barata05 Mini Bar - Frango Assado © Paulo Barata06 Mini Bar - Gambas do Algarve em ceviche © Paulo Barata07 Mini Bar - Quente e frio de escabeche de bacalhau © Paulo Barata08 Mini Bar - Vieiras com sabores Thai © Paulo Barata09 Mini Bar - Bifana Vietnamita © Paulo Barata10 Mini Bar - margarita de maçã verde e hortelã © Paulo Barata11 Mini Bar - Cornetto temaki de tártaro de atum © Paulo Barata13 Mini Bar - Iogurte de framboesas © Paulo Barata18 Mini Bar - Ferrero Rocher © Paulo Barata19 Mini Bar - Encharcada enlatada © Paulo Barata12 Mini Bar - Globo lima-limão © Paulo Barata20 Mini Bar - Cone de chocolate em 3 texturas © Paulo Barata17 José Avillez - Mini Bar © Paulo Barata
Mini-Bar
Rua António Maria Cardoso, 58 Lisboa
Tel. 211 305 393
www.minibar.pt
facebook aqui

Seg a Qua
Para tomar um copo / Carta de Bar 18h30 – 1h00
Para petiscar ou jantar / Carta Mini Bar 18h30 – 0h00
Qui a Sáb
Para tomar um copo / Carta de Bar 18h30 – 2h00
Para petiscar ou jantar / Carta Mini Bar 18h30 – 0h00