Fazer acontecer, o melhor de 2011

Chego ao final de 2011 cheia de tudo. Lisboa abraçou a criatividade como nunca e ofereceu-nos moradas de fazer vibrar qualquer viajante do mundo.

É com imensa luz que escrevo a última Saída de Emergência, de 2011, para o Vogue.pt, um dos melhores sites que Lisboa recebeu este ano e que me permite voar e partilhar a cada semana toda a liberdade que me move. E para agradecer o ano que passou e inspirar o futuro que virá, ofereço esta lista preciosa para não olharem de lado para 2012.

Por mais que seja inundada de discursos e conversas derrotistas, continuo a acreditar muito nesta cidade. Continuo a acreditar na pequena percentagem de loucos, génios e ousados que, em vez de se queixarem sobre o que aí vem, usam o tempo (que nunca volta, apenas passa) para fazer acontecer sonhos. Com rasgo, com elogio à criatividade, imprescindível em tempos de crise ou desespero, no dicionário dos loucos – onde me incluo, não há páginas para desenvolver ou alimentar as palavras ‘complicado’ ou ‘impossível’. Ao invés, surge o vocábulo ‘desafio’ para ser superado.

Seduzida para sair de Portugal, dizem-me que tinha tudo para vencer, que nada me prende (julgam eles). Acredito, mas vejo a palavra oportunidade maior que nunca. Será que faria sentido abandonar as cidades que tanto me movem numa altura em que quem ficar fará a diferença? E não falo apenas da produtividade de um país, mas de um caminho individual de trabalho e de entrega, que todos devemos percorrer, sem medo, e focados no que é essencial.

Na lista, já trago há uns meses ‘consumir menos, partilhar mais’. Haverá sentimento mais nobre do que saber que somos maiores como os outros e reconfirmar que não precisamos de tudo o que a vibração mundial nos impinge, como se não houvesse amanhã?

Finalmente, viver em realidade, compreendendo que a casa mais solidamente edificada terá sempre de ser a interior. Compreendendo que serão as coisas simples que inundam os nossos dias: dizer bom dia à senhora da limpeza do ginásio (cada vez que me vê duplica o tamanho dos olhos) ou fazer conversa com o vizinho idoso a quem a solidão já faz parte da pele. Consumir com respeito, a luz, a água, os alimentos. O respeito dos processos pessoais dos que nos rodeiam, na certeza que, para mudar o mundo, temos primeiro de mudar em nome individual, sem dar espaço à palavra ‘medo’.

Talvez tenha sido esta a fórmula dos visionários e destemidos sonhadores, por trás destes casos de sucesso como quem sonha mais alto por uma cidade que é nossa. No melhor de 2011, agradeço a sofisticação do Sushi Café, o meu preferido sushi lisboeta; a esplanada e descontracção do Esperança Sé; a ousada e tão completa Pharmácia; o veludo do bolo de chocolate da Landeau; o comprimento e a partilha da Mesa Lx; a simplicidade e acolhimento do Peisheirada; a esplanada com espaço para as crianças da Rota das Sedas; a sapiência e boa energia da Liquid; a tentativa (tem de melhorar a parede e a luz branca da sala principal e desprender-se da distância) da casa de chá Poison d’Amour, no coração do Príncipe Real. Ainda a generosidade da Taberna 1300, o casamento da Babel com o Fabrico Infinito, e o soberbo pão do Miolo.

A satisfação de ver acontecer um dos projectos a quem mais atiro pétalas em 2011: The Independente; The Decadente e o seu Mercado do Livro a acompanhar com o misterioso cocktail Miss Lisboa, com receita deixada num guardanapo da mesa do bar. A irreverência da Pensão Amor e a quebra de complexos de amor com a magia da mentora da Purple Rose. A qualidade de tudo o que sai do Origem, a pioneira boutique orgânica com um imbatível preço, sabor e qualidade. A mesa na cozinha do Oitavos Chef’s Table e o Sótão do Príncipe Real onde confirmamos que sabe bem ser português e onde me inspirei para fazer a minha ultima montra viva no Príncipe Real.

Ainda a partilha das frases das ruas da cidade pela entrega de Ana Luísa Maia Nogueira e o regresso das histórias mais antigas pela Arqueologista, uma ideia genial de Mami que fazia da le Cool aquilo que já não existe, e a ideia da Go Arte Urbana de mostrar as mensagens das paredes das ruas de Lisboa. São histórias de pessoas que fazem toda a diferença. Pessoas que acreditam, que não se deixam levar pelo saudosismo do que perdemos ou do que poderíamos ter sido. Podemos ser. Podemos voltar a ser e escrevo-vos isto quando sorrio por dentro pelo regresso do Hot Club na Praça da ‘Alegria’. Haveria melhor palavra para fechar 2011?

crónica publicada a 29 de Dezembro de 2011 na Vogue

Lista preciosa por ordem de abertura

Sushi Café Avenida
Rua Barata Salgueiro, 28 Lisboa
Tel. 211 928 158/914 859 526
www.sushicafe.pt
Seg a Sáb 12h30 às 15h30 e 19h30 às 24h, Sex e Sáb até 02h

Esperança Sé
Rua São João da Praça, 103 Lisboa
Tel. 218 870 189
Ter a Dom 13h – 16h e 19h30 à 24h, Sex e Sáb até 24h30

Pharmácia
Rua Marechal Saldanha, 1 a Santa Catarina, Lisboa
Tel. 21 346 2146
De Ter a Dom das 13h à 01h (a cozinha fecha Às 11h)
Tem estacionamento privado ao restaurante

Landeau
Lx Factory, Rua Rodrigues Faria, 103 Lisboa
Tel. 917 278 939
www.landeau.pt
Seg a Sex 11h – 19h
Bolo Grande €26,50
Bolo Pequeno € 16,50
Fatia €2,80

A Mesa
Lx Factory, Rua Rodrigues Faria Lisboa
Tel. 21 362 4351
www.amesadolx.pt
Seg a Qui 11h – 24h Sex 11h – 01h e Sá 16h – 01h
Pizzas a partir de €6,5
Almoço Buffet €7,5 com Nespresso incluído

Peisheirada
Calçada Bento Rocha Cabral, 4 Lisboa
Tel. 211 538 251
www.peisheirada.com
Seg a Sex 12h – 15h e 19h30 – 23h Sáb 19h30 – 23h

Rota das Sedas
Rua da Escola Politécnica, 231
www.rotasdassedas.pt
Ter a Dom do 12h30 às 24h

Liquid
Rua Nova do Almada, 45 A
www.liquid.pt
Tel. 913 122 334
seg a Sáb 8h – 19h

Poison D’Amour
Rua da Escola Politécnica, 32 Lisboa
www.poisondamour.com (em construção)
Tel. 21 347 6032
Seg a Sáb 8h – 20h

1300 Taberna
Rua Rodrigues Faria, 103, Edifício H, Lisboa
Tel. 21 364 9170
www.1300taberna.com
Seg a Sex 9h30 às 18h30 Ter a Qui das 9h30 às 24h, Sex 9h30 às 02h e Sáb 19h30 às 02h

Babel Fabrico Infinito
Rua D. Pedro V, 74 Lisboa
Ter a Sáb 11h – 22h

Miolo
À venda no Brio, Delideluxe, Miosótis, Mercearia da Vila em Cascais, Quinta do Saloio no Estoril.
Encomendas 214 862 216
www.miolo.pt
A partir de €2

The Independent
Rua de São Pedro de Alcântara, 81 Lisboa
Tel. 21 346 13 81/91 306 93 45
www.theindependente.pt

Pensão Amor
Rua do Alecrim, 19Lisboa
Tel. 21 314 3399
www.facebook.com/purplerose.pt?ref=ts#!/pensaoamor?sk=photos

Purple Rose
Pensão Amor, Rua do Alecrim, 19, Lisboa
Tel. 967 069 899/ 913 245 570
www.facebook.com/purplerose.pt
Todos os dias 15h – 24h

Origem
Espaço Amoreiras
Rua D. João V, 24 0.02 e 1.06 Lisboa
Tel. 916 476 024
www.origem.org
Seg a Sex 12h às 20h

Oitavos Chef’s Table
Quinta da Marinha, Rua dos Oitavos, Cascais
Tel. +351 214 860 020
www.theoitavos.com

Sotão
Pátio do Tejolo, 1 à Rua Dom Pedro V, Lisboa
Tel . 915 695 737
www.sotao.com.pt
Qua Sex 14h – 20h e Sáb 11h – 20h
(horário especial de Natal Seg a Sex 14h – 20h e Sáb e Dom 11h – 20h)

Arqueologista
www.arqueolojista.com

Galeria de Arte Urbana
www.gaulisboa.blogspot.com

Hot Club Portugal
Praça da Alegria, 48 Lisboa
Tel: 21 3619740
www.hcp.pt
Ter a Sáb 22h – 02h