Depois das festas, as promessas. Coleccionando as famosas pedras que Fernando Pessoa tanto sugeriu guardar para um dia construir um castelo, é sempre com mais maturidade e sabedoria que entramos num novo ano. Na mochila, e porque o caminho é saborosamente longo, os amigos, a coerência, o engrandecimento, a perseverança e a luz de sempre. Além destes ingredientes indispensáveis ao entusiasmo que define a atitude com que vivemos, o desejo da poderosa palavra saúde. Para gozar a vida intensamente lanço esta semana a sugestão de um kit de energia para 2008. Para os momentos mais e menos luminosos que nos esperam, sempre sem esquecer, claro, o irreverente factor surpresa.

crónica publicada a 11 de Janeiro de 2008 no jornal Meia Hora