America’s Cup Cascais 2011, Cascais como nunca vimos

O mar tem um poder de limpeza energético e é estímulo criativo por excelência. E nós, enquanto país à beira mar plantado, gozamos da dádiva de mão beijada.

O que tenho observado em Cascais é um Verão na cidade, na sua melhor versão. A Marina de Cascais anda ao rubro com a sua etapa inaugural da America’s Cup, animando os que ficaram pela cidade, desde dia 6 e até 14 de Agosto. Durante os nove dias de competição, o privilégio da mais importante regata do mundo passa também por, fora de água, milhares de fãs desfrutarem de bandas e DJ’s locais e internacionais, conviverem com as maiores estrelas da vela mundial, e interagirem com animações multimédia num festival cheio de muita coisa boa. A não perder, Nouvelle Vague, já amanhã pelas 23h, com entrada livre – para quem não foi de férias.

Confesso a minha tristeza quando Valência nos ganhou para ficar com a final de 2013. E estranho sempre que detecto falhas na cultura de um país, que comprova a sua falta de interesse pela não transmissão em directo das provas, na estação que ficou com o exclusivo. Dizia-me um jornalista em pleno barco a acompanhar as regatas: ‘Para quê? Ninguém tem interesse em ver.’ À parte de achar que os meios de comunicação deveriam ter a função de educar massas, o meu coração aperta… não apenas pela falta de responsabilidade mas também por confirmar a falta de interesse, a falta de mundo e a falta de informação de um povo que talvez não se aperceba bem do privilégio.

A America’s Cup, com o patrocínio da Louis Vuitton, é a mais famosa e prestigiada regata mundial e o mais antigo troféu do desporto internacional, depois do Jeu de Paume, antecedendo os Jogos Olímpicos modernos. As regatas atraem os principais navegadores e projectistas de iates do mundo por causa da sua longa história e prestígio como o ‘cálice sagrado’ do iatismo. No arranque do campeonato, estreiam-se em Cascais os barcos AC45, embarcações consideradas os Fórmula 1 da vela, pela velocidade que podem atingir de 60 km/h. Cada equipa pode levar seis pessoas (cinco elementos da tripulação e um convidado) e por questões de segurança, os velejadores estão obrigados a utilizar um capacete. No final das eliminatórias acontece um duelo entre os dois barcos vencedores disputada numa ‘match race’.

Entre as oito equipas, o destaque vai para a entrada de novas equipas como o Team White Tiger Challenge (Coreia), o Venezia Challenge (Itália), o Artemis Racing (Suécia), o Green Comm Racing (Espanha) e o Aleph e Energy Team (França). A estas juntam-se a Oracle Racing – com dois barcos, comandados por Russell Coutts e James Spithill – a Emirates Team New Zealand e a China Team.

Pela primeira vez na história da America’s Cup, a competição veleja ao longo da costa, o que permite observar as etapas a partir da praia. Os percursos da AC World Series Cascais, foram desenhados para que os catamarãs passem muito perto dos espectadores e se possa apreciar as emoções da competição. Craig Thompson, director executivo da prova, falou de Cascais como uma cidade linda, com águas maravilhosas e praias fantásticas, acrescentando que não existe espaço melhor para o arranque do campeonato. Nós concordamos e queremos mais já em 2012. E num Agosto em que se nota a cidade menos vazia – culpa da crise ou não – uma coisa é certa: esta semana, a pensar na auto-estima do nosso país Atlântico, a Saída de Emergência não poderia deixar de ser sobre a energia de Cascais.

crónica publicada a 11 de Agosto de 2011 na Vogue

America’s Cup Cascais 2011
Marina de Cascais
www.americascup.com
Vídeos
Programa
Quinta-feira 11 de Agosto
18h Sunset DJ’s
21h45 DJ Sammy Jo (Scissor Sisters DJ)
Sexta-feira 12 de Agosto
14h10 Transmissão directa das regatas
18h Sunset DJ’s
21h45 Balla
23h Live Concerto Balla e Nouvelle Vague
Sábado 13 de Agosto
14h10 Transmissão directa das regatas da AC Match Race Championship
18h Sunset DJ’s
22h30 Concerto Little Boots
Domingo 14 de Agosto
15h Transmissão directa das regatas da AC World Series Championship