Ainda os Mirós ou a “saloiice atávica”

Miró Christies

Já me manifestei sobre o tema nas redes sociais, e não sendo apreciadora de Miró, nem o substituindo jamais por nenhum Goya, Sorolla ou Picasso (e estou a falar apenas das minhas preferências), o episódio da Christie’s envergonhou-me enquanto cidadã deste país. Acima de tudo critiquei a condução do processo e a vergonha de porem os quadros na leiloeira sem um inventário decente, mas pior,  ser a leiloeira a retira-los. Todos sabemos que não podemos ter os Mirós, mas que tivessem ao menos conduzido a sua venda com dignidade. De tudo o que li, Vasco Pulido Valente escreveu e disse tudo. Para ler aqui.