Royal, um clássico que encanta sempre

Royal Café (2)

O Royale Café é um clássico do Chiado e lembro-me bem quando regressei a Lisboa, depois de quatro anos fora do país, ser um café pioneiro no seu sentido estético europeu. Enquanto partilho uma das minhas viagens a uma das cidades da Escandinávia, um desvio a Lisboa e a um dos cafés do Chiado, que mais me encanta.

Situado entre o Carmo e a Trindade, no número 29 do Largo Rafael Bordalo Pinheiro, o Royale apresenta-se como um misto de influências. Inspirado nos cafés prevalentes na Escandinávia, não poderia deixar de lado neste mês de crónicas que revelam moradas da cidade que escolhem também a famosa marca sueca para decorar a sua morada com distinção. Na extensão dos muitos objectos escolhidos para decorar este café que não deixando de ser muito simples respira um ambiente cool e sofisticado, desenvolve-se uma cozinha criativa com ingredientes mediterrânicos, sempre com grande atenção aos detalhes. Os seus pratos sazonais são sempre pensados com alimentos frescos, nomeando-se como uma das minhas moradas preferidas de um dos bairros mais carismáticos da cidade.

Perita em escolher os ingredientes a dedo e muitos deles biológicos, a Ana Faro que orquestra a qualidade e a alma do Royale merece os meus elogios mais inteiros. Seja pela ideia de mundo que vivo neste café lisboeta, conseguida pelo ambiente de influências lusitanas e dinamarquesas, seja pela parede do terraço coberta de diferentes plantas – com cachos de brincos de princesa – que me lembram sempre a minha infância.

O meu carinho pelo Royale revela-se também por ter sido das primeiras salas de jantar de Lisboa, a colocar Tsatsiki nas cartas portuguesas. O ter vivido na Grécia viciou-me nesta experiência e com este segredo não pretendo partilhar as saudades que tenho da alegria do povo grego, mas antes um dos petiscos que mais gosto de saborear na cidade de Lisboa: iogurte grego, pepino, alho, pimenta preta e endro, uma mistura poderosa que acompanhada de pão de pita e que fazem uma homenagem ao verdadeiro manjar dos deuses, que faziam as delícias dos meus dias na Grécia.

Nas entradas escolho sempre a ‘Beringela envolvida em massa filo, recheada com tomate, cebola, manjericão e mozzarela derretida com molho de mostarda e mel’, mas também há ‘Ostras Algarvias ao natural com gomos de limão’. Grande aliada do ‘Hamburguer Royale em pão pita com Tzatziki, salada aromática, queijo, ovo escalfado, bacon e molho à Portuguesa’, ou do ‘Salmão Fumado em pão de Espelta Bio com salada aromática, barrado com ricota de ervas, espargos e ovo escalfado’, por vezes também escolho o ‘Polvo à lagareiro com batata a murro, grelos e salsa’, há muitos anos na carta e com enorme sucesso. Para beber recomendo o Chá do Eterno Verão com menta, canela e cravinho que é ainda mais agradável, em dias em que o Sol já dá o ar da sua graça.

Porque o tempo agradável já espreita, a ordem é para disfrutar especialmente fora de portas, no terraço verdejante, que faz as maravilhas dos viajantes da cidade, em tardes estivais de Primavera.

Royal Café (5)

Royal Café (7)

Royal Café (8)

Royal Café (9)

Royal Café (10)

Royal Café (11)

Royal Café (12)

Royal Café (13)

Royal Café (14)

Royal Café (15)

Royal Café (16)

Royal Café (18)

Royal Café (0) FOTO DESTAQUE FACEBOOK

Café Royale
Largo Rafael Bordalo Pinheiro, 26 R/C Esq. Lisboa
Tel. 213 469 125
Seg a Sáb 10h – 24h e Dom 10h – 20h
www.royalecafe.com
Facebook aqui